quarta-feira, fevereiro 22, 2017

CLÉRIGO MUÇULMANO AFIRMA QUE OS CURDOS QUE RETORNEM AO ZOROASTRIANISMO DEVEM SER MORTOS

No Curdistão iraquiano, um clérigo curdo do Grupo Islâmico do Curdistão - mais conhecido como Komal - declarou que é legítimo assassinar curdos que se convertam ao Zoroastrianismo.
Em entrevista ao serviço persa da BBC, Mulla Hassib, de Sulaimani, afirma que os muçulmanos curdos que estão a deixar o Islão para se tornarem zoroastristas ou mazdeístas ou adeptos de qualquer outra religião, devem ter um período de três dias para se arrependerem da sua decisão, findo o qual «devem ser mortos, executados.»
Note-se que este clérigo afirma que a implementação de tal medida prende-se com uma governação muçulmana do Estado - e explica que o califado da Síria e do Iraque está a proceder de modo parcialmente correcto, de acordo com os estudos muçulmanos, mas critica também este califado por disseminar a religião através da violência.

Quem diria que este Mulla havia de ser um... moderado... um adepto da paz...
De cada vez que se ouvir um muçulmano dizer que o Islão é a religião da paz, e que é tolerante, pense-se bem em qual é o significado disso na mente de quem o diz...

A declaração do clérigo foi altamente criticada nos média. Em reacção, o líder dos Zoroastrianos na região curda, Pir Luqman, emitiu uma declaração a condenar as afirmações de Hassib, descritas como «Ideologias de terrorismo e abordagens contra a liberdade entre os Curdos.»
Luqman apelou entretanto ao Ministério de Dotação e Assuntos Religiosos e ao ministério público do Governo Regional do Curdistão para aplicar ao clérigo muçulmano as devidas medidas devido à sua ideologia ameaçadora, acrescentando «Nós como zoroastrianos iremos certamente meter um processo contra ele.» Disse também que aqueles que estão a retornar do Islão ao Zoroastrismo estão a «retornar à religião dos seus ancestrais.» Apela por isso a que a sua comunidade não desista dos seus direitos e continue a convidar gente para «regressar ao Zoroastrismo.»
A região do Curdistão é considerada como a mais laica do Médio Oriente. Alberga muçulmanos sunitas e xiitas, cristãos, kakayis, iazidis e zoroastrianos, bem como outras minorias étnicas e religiosas que aí vivem há séculos. Com o advento do califado, entretanto, aumentou a actividade islamista na área e, em reacção, vários clérigos muçulmanos foram proibidos de darem sermões religiosos.
O Grupo Islâmico do Curdistão é liderado por Ali Bapir, anterior membro do Movimento Islâmico do Curdistão. Bapir e os seus são conhecidos pelos seus laços com a República Islâmica do Irão. Um dos membros, Soran Omar, é acusado de tomar parte no massacre de Kheli Hama em 2001, quando Omar era integrante do grupo extremista Jund al-Islam. HOje até dirige o comité parlamentar dos direitos humanos...
Como foi aqui noticiado, os zoroastrianos abriram o seu primeiro templo oficial na cidade de Sulaimani, no Curdistão iraquiano, em Setembro de 2016.
*
Fonte: http://ekurd.net/killing-kurds-zoroastrianism-legitimate-2017-02-04

NA SUÉCIA - DEZENAS DE CARROS QUEIMADOS COMO REACÇÃO A UMA DETENÇÃO POR TRÁFICO DE DROGA

Dezenas de carros foram queimados na noite de segunda-feira, num bairro dos subúrbios de Estocolmo, na Suécia. A desordem começou quando a polícia deteve um suspeito numa investigação relacionada com droga.
*
Fonte: http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/2017-02-21-Dezenas-de-carros-queimados-na-Suecia-apos-detencao-por-trafico-de-droga

* * *

O sucedido deu-se num bairro da capital sueca altamente povoado por imigrantes, Rinkeby, como se pode ouvir no vídeo - e neste blogue já se noticiou diversas vezes o que por lá se passa... As autoridades dizem que este tipo de casos dá-se mais vezes na altura de maior calor... as autoridades acrescentam que este caso nada tem a ver com os refugiados, pois claro que não: a merda criminosa é a mesma, mas veio cronologicamente antes de se lhe chamar «refugiados»...

AQUI AO LADO: «SUECO» ATINGIDO A TIRO ENQUANTO GUIAVA UM CAMIÃO CONTRA A MÃO EM BARCELONA...


Un hombre de 33 años con pasaporte - aunque no aspecto - sueco, identificado como Joakim Robin Berggren fue detenido ayerdespués de que los Mossos d´Esquadra (policía autonómica de Cataluña), abrieran fuego sobre su cabina para abatirlo al conducir un camión cargado de gas circulando en sentido contrario y después de embestir a varios coches. Robin Berggren llevaba una pistola en el salpicadero del camión, y ha sido su desconocimiento de la complicada Ronda Litoral entre el puerto olímpico y el puerto comercial de Barcelona lo que le ha hecho confundir el camino a tomar y acabar siendo interceptado.
El reparto de bombonas de gas suele ser una exclusiva de repartidores pakistaníes desde hace algunos años. Un conductor con pasaporte sueco es una rara excepción (o lo ha robado como dicen o se lo han adjudicado, lo cual apuntaría a la implicación de organizadores de la compañía de distribución de bombonas de gas en los turnos del personal de reparto).
La carga ha de bombonas ha sido trasladada a otro camión mientras la policía abría diligencias con el juez. 
Es posible que el objetivo fueran los ferrys o los mismos depósitos de combustible en el puerto.
Los medios televisivos han dicho que era un loco y no un atentado. Normal, reconocerlo acabaría con el mayor turismo de ferrys de España y la principal fuente de ingresos de Barcelona.
21/02/2017 = 33
Por cierto, ha sido al lado (a escasos 200 mts), de dónde calculé el black friday.
Aparece un perfil en Facebook -Robin Berggren-, que no es él (por sus tatuajes en el cuello), pero llama la atención las coincidencias del nombre, mentón, ojos boca y cejas; es un perfil parecido al de Breivik en Utoya.
*
Fontes:
http://astillasderealidad.blogspot.pt/2017/02/abortado-un-posible-atentado-suicida.html?m=1
https://eladiofernandez.wordpress.com/2017/02/21/la-policia-abre-fuego-contra-un-conductor-joakim-robin-berggren-con-pasaporte-sueco-que-circulaba-en-sentido-contrario-y-pretendia-estrellarse-en-el-puerto-de-barcelona/   -   Página com vídeos incorporados.

* * *

Mais um «maluquinho»... desta vez o acto nem foi noticiado pelos grandessíssimos mé(r)dia...

NOVAS LEIS DE TRUMP SOBRE IMIGRAÇÃO VÃO DEPORTAR MAIS ALÓGENOS DO QUE NUNCA

Ilegais que estão no país há menos de dois anos ou que foram acusados de algum crime serão postos fora dos EUA.
O Departamento de Segurança Interna norte-americano divulgou esta terça-feira as novas normas de imigração que deverão pautar a administração de Donald Trump. As autoridades explicaram que o objectivo não é produzir deportações em massa, mas sim tomar medidas mais fortes em relação à imigração ilegal, e que muitas das medidas precisam de tempo para serem implementadas.
Com este plano, o número de imigrantes ilegais deportados vai aumentar, segundo a Reuters, que cita funcionários da Segurança Interna, e cerca de 10 mil agentes vão ser contratados para os serviços de fronteiras e alfândegas e mais cinco mil para os serviços de protecção da fronteira. Além disso, os imigrantes não mexicanos que atravessaram a fronteira sul ilegalmente poderão ser enviados de volta para o México.
As autoridades mexicanas deixaram já claro que não concordam com estas medidas, dizendo que os Estados Unidos não podem "enviar deportados ou repatriados da América Central para o México" devido aos tratados assinados entre os dois países, segundo a Reuters.
O memorando assinado pelo secretário de Segurança Interna John Kelly é a materialização dos decretos presidenciais de Trump assinados a 25 de Janeiro sobre a imigração e o controlo das fronteiras. Trump prometeu divulgar até ao final desta semana o decreto de imigração que irá substituir o que impedia a entrada no país de pessoas com origem em sete países muçulmanos que está actualmente suspenso por decisão judicial.
Com o novo plano, explicaram os funcionários da Segurança Interna, apesar de todos os imigrantes ilegais poderem ser deportados, a agência vai priorizar a deportação dos indocumentados que representam uma ameaça. Nesta categoria estão incluídos os imigrantes ilegais que foram condenados por algum crime, os que foram acusados de um crime mas ainda não foram a julgamento e os que entraram no país recentemente.
A agência entende o termo "recentemente" como referindo-se aos imigrantes que não consigam provar que estão nos Estados Unidos há mais de dois anos. Anteriormente esta deportação prioritária apenas era aplicada aos imigrantes encontrados perto da fronteira mexicana que estavam no país há menos de 14 dias.
Os serviços de imigração norte-americanos vão poder ainda deter os imigrantes que aguardam uma decisão judicial sobre se são deportados ou recebem asilo, mas ainda é necessário rever a legislação para perceber o tempo máximo que um imigrante pode ficar preso, afirmaram as fontes à Reuters.
Os cerca de 750 mil imigrantes que entraram ilegalmente nos Estados Unidos em criança, conhecidos como "dreamers", vão poder manter a protecção de que gozam desde 2012, quando Obama lhes atribuiu um estatuto especial num decreto presidencial. A deportação dos "dreamers" proposta no decreto inicial de Trump foi um dos pontos que mais controvérsia causou.
Estas medidas dependem ainda da aprovação do congresso e outras autoridades norte-americanas e de conversações com outros países, como o México.
O plano pretende, por exemplo, que o número de imigrantes que é deportado antes de ser ouvido pelos Serviços de Fronteiras e Alfandegas dos Estados Unidos aumente, mas esta medida não pode ser implementada antes de ser publicada no jornal Federal Register.
*
Fonte: http://www.dn.pt/mundo/interior/novas-leis-de-imigracao-de-trump-vao-deportar-mais-do-que-nunca-5682717.html

* * *

Trump não desarma, dá exemplo de firmeza - é exactamente disto que a política ocidental precisa, que haja quem esteja disposto a insistir mais e mais e mais e mais e mais e mais com toda a força pelas ventas da elite reinante adentro, e mais ainda se preciso for, e ainda mais. A confusão que a elite político-cultural reinante quer estabelecer a respeito da imigração ilegal tem reflexo nas atoardas indigentes do género «ai, não há ilegais, ninguém é ilegal, sermos todos umanos!» O verdadeiro humano tem, sempre teve, as suas devidas fronteiras, porque discriminar é preciso - e discriminar não é «tratar mal», discriminar é tão somente tratar de forma diferente o que é diferente.


AUMENTO INEXPLICÁVEL DE RADIAÇÃO NA EUROPA OCIDENTAL E SETENTRIONAL

Um aumento inexplicável nos níveis de radiação tem sido detectado por estações de monitorização ao longo de todo o norte e oeste europeu. Embora a situação ainda não represente um grande risco para os humanos, autoridades locais esforçam-se para entender o que pode estar a acontecer.
De acordo com alguns especialistas, o fenómeno seria evidência de um provável vazamento nuclear em alguma instalação do continente. 
Em Janeiro, estações da Noruega detectaram a presença do radio-iodo I-131, um isótopo radioactivo que é um subproduto da energia nuclear e de certos processos médicos. Embora perigoso para o organismo, o país considerou que os níveis não eram suficientemente altos para que se emitisse um alerta.
Pouco depois do caso norueguês, Finlândia, Polónia, Alemanha, República Tcheca, França e Espanha também relataram ter detectado a substância. No entanto, o nível mais alto, verificado em França, era cem vezes menor do que o mínimo considerado para um alarme. 
De acordo com a chefe da Autoridade Norueguesa de Protecção da Radiação, Astrid Liland, embora minúscula, a radiação está a espalhar-se, e as autoridades europeias acreditam que esteja a vir de algum lugar da Finlândia, da Suécia ou da Rússia. 
"Uma vez que apenas o iodo-131 foi medido, e nenhuma outra substância radioactiva está presente, pensamos que se origina de uma empresa farmacêutica que produz drogas radioactivas", disse Liland ao Motherboard. "O iodo-131 é usado para o tratamento de câncer", explicou. 
Apesar dos registos e da desconfiança dos especialistas, ninguém assumiu a responsabilidade por qualquer vazamento radioactivo até o momento. 
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/201702217738427-europa-vazamento-nuclear/

* * *

Há coisas que não se arriscam. Nada justifica um risco destes.

T-SHIRT RETIRADA DA PRIMARK SOB ACUSAÇÃO DE RACISMO


A cadeia de roupa Primark anunciou que teve de retirar das suas lojas algumas t-shirts relativas à série “Walking Dead”, depois de terem sido feitas queixas afirmando que estas passavam uma mensagem racista e ofensiva.
Uma das camisolas mostrava o bastão de Negan, que é um dos vilões da história, enrolado em arame farpado e coberto de sangue. No thriller, Negan utiliza este objecto para esmagar a cabeça das suas vítimas e, quando o faz, costuma proferir a lengalenga ‘Eeny, Meeny Miny, Moe’ - frase também usada na peça de roupa para venda.
Devido à queixa de um casal residente em Sheffield, Inglaterra, a loja não irá continuar a vender a peça de roupa. Segundo os queixosos, esta é considerada uma rima racista.
“Ficámos chocados quando vimos a t-shirt com uma rima racista tão explícita. Era mesmo muito ofensiva e só quero acreditar e assumir que as pessoas que estiveram dentro do processo de produção desta t-shirt não estavam conscientes da mensagem subliminar que estavam a passar”, explicou um dos queixosos.
A rima é conhecida por terminar em “catch a nigger by his toe”, o que significa “agarrar um negro pelo seu dedo”. “A imagem está directamente relacionada com as pessoas negras na América”, sublinhou.
Um porta-voz da Primark veio confirmar que a peça já está a se removida das lojas e garantiu que a t-shirt em questão cumpriu todos os requisitos legais que são necessários. “Qualquer ofensa causada pelo seu design foi completamente acidental pela parte da Primark e pedimos desculpa por tudo o que aconteceu”. 
*
Fonte: https://sol.sapo.pt/artigo/550436   (Artigo originariamente redigido sob o acordo ortográfico de 1990 mas corrigido aqui à luz da ortografia portuguesa.)

* * *

É mais um exemplo do ridículo a que chega o zelo autenticamente «religioso» dos diáconos da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente... Tudo isto passa cada vez mais ao largo do grosso da população ocidental, a qual vota cada vez mais nos partidos ditos «racistas!», porque, de facto, a acusação «racista!» não incomoda verdadeiramente ninguém senão as franjas da elite político-cultural reinante e seus derivados «antifas» de rua...


BISPO NORUEGUÊS LANÇA CAMPANHA PARA VIOLAR A LEI DANDO EMPREGO A ILEGAIS

Na Noruega, organizações cristãs planeiam juntar-se a uma campanha para apoiar o emprego de imigrantes ilegais, isto apesar de tal iniciativa violar declaradamente a lei. O anterior bispo de Sør-Hålogaland - diocese do norte do país - Tor Berger Jørgensen lançou esta campanha na semana passada, argumentando que violar a lei não é uma questão de poupar dinheiro mas de fornecer um modo de vida a pessoas «em situação desesperada.» O vigário enviou cartas a organizações cristãs de todo o país para que se dessem postos de trabalho a imigrantes que não conseguissem o visto de residência em território nacional. 
Este seu apelo foi lançado na sequência de se ter sabido que um igreja evangélica de Stavanger tinha dado emprego a uma mulher da Eritreia que vivia na Noruega sem autorização de residência de 2011.
A ministra da imigração, Sylvi Listhaug, denunciou a atitude do bispo como «irresponsável»: «o que ele está de facto a fazer é a criar falsas esperanças para pessoas que têm de regressar à sua terra. Indivíduos que receberam uma rejeição final do seu pedido de asilo são obrigados a retornar a casa.»
A lei norueguesa aplica multas ou até pena de prisão para quem der emprego a alógenos sem direito de residência.
*
Fonte: http://www.thelocal.no/20170220/noway-bishop-calls-on-churches-to-employ-paperless-migrants

* * *

Constitui isto mais um testemunho de como os valores da Cristandade são, como sempre foram, visceralmente incompatíveis com o Nacionalismo. Já há quatrocentos anos, por exemplo, a Igreja Católica violava a lei do rei português D. João IV que proibia o casamento entre portugueses e escravos (gente em princípio não branca)...

Etiquetas:

terça-feira, fevereiro 21, 2017

O PANORAMA DO NACIONALISMO OCIDENTAL NUM DESENHO SIMPLES


Há quem só perceba com um desenho... outros, nem isso... Por outro lado, às vezes uma imagem vale por mil palavras, como sói dizer-se. Para quem não conhece os códigos expressos no «cartoon», aqui fica a legenda:
14 - O lema das catorze palavras, que constituem o cerne do ideário nacionalista em todo o mundo branco de origem europeia: «We must secure the existence of our people and a future for white children.» ou «Devemos garantir a existência da nossa Gente e um futuro para as crianças brancas.» Claro que a primeira parte do lema inclui a segunda, mas enfim, assim reforça-se a ideia.
88 - Referência numérica a HH, isto é, Heil Hitler, porque o H é a oitava letra do alfabeto.
6000000 - o alegado número de vítimas do holocausto.

Em suma, com nazistices, revisionismos e totalitarismos, só se atrasa o desenvolvimento do que mais interessa: a salvaguarda da estirpe europeia.

NOVO MURO ENTRE EUA E MÉXICO PODERÁ PAGAR-SE A SI MESMO...

Nos EUA, um estudo do Centro de Estudos da Imigração indica que se o muro agora em construção entre os EUA e o México servir para deter pelo menos dez por cento dos novos imigrantes ilegais, então o muro irá pagar-se a si mesmo, uma vez que irá poupar aos EUA o dinheiro que os imigrantes lhe custam ao longo das suas vidas.
Efectivamente, os imigrantes ilegais custam cerca de setenta e cinco mil dólares - pouco menos de setenta e cinco mil euros - ao país. Impedir a entrada a pelo menos duzentos mil imigrantes ilegais irá por isso poupar quinze mil milhões de dólares ao longo da próxima década. E se impedir a entrada a metade dos novos imigrantes ilegais, nesse caso a poupança dos EUA chegará praticamente aos sessenta e quatro mil milhões de dólares, segundo Steven A. Camarota, demógrafo e autor deste estudo. Segundo Camarota, uma nova pesquisa do Instituto de Análise de Defesa calcula que cento e setenta mil imigrantes ilegais saltaram a fronteira em 2015. Cinquenta e sete por cento dos imigrantes não completaram a escolaridade liceal, afirma Camarota, o que torna o seu contributo particularmente negativo.
Um estudo que segundo a Reuters é da Agência de Segurança do País - Homeland Security - indica que o muro custaria mais de vinte mil milhões de dólares. 
*
Fonte: http://www.washingtontimes.com/news/2017/feb/16/cost-wall-less-cost-services-illegals-report/

* * *

Conclusão - se o estudo noticiado pela Reuters estiver correcto, então bastará deter pelo menos metade dos imigrantes ilegais para que os EUA fiquem a ganhar com o novo muro... isto sem contar com o facto de que a maior tranquilidade do cidadão norte-americano diante da criminalidade só por si já justifica o custo de qualquer muro, valendo esta serenidade quase tanto como a salvaguarda dos EUA como país de maioria euro-descendente, que constitui, evidentemente, o maior benefício do muro.

MUFTI DE BEIRUTE RECUSOU RECEBER MARINE LE PEN POR ESTA NÃO USAR O VÉU ISLÂMICO

Líder da Extrema-Direita francesa recusou-se a usar o véu islâmico, o que foi considerado "inapropriado".
O mufti de Beirute, autoridade sunita do Líbano, recusou-se hoje a receber Marine Le Pen porque a presidente da Frente Nacional francesa escusou-se a cobrir a cabeça com o véu islâmico.
Um comunicado do gabinete do mufti de Beirute, xeque Adbelatif Derian, lamenta o "comportamento inapropriado" de Marine Le Pen que "se recusou a usar o véu islâmico, requisito para ver o mufti".
"Le Pen tinha sido informada sobre a necessidade de cobrir a cabeça para se reunir com o mufti mas quando chegou recusou fazê-lo, apesar dos pedidos que tinham sido feitos nesse sentido", acrescenta o documento.
A presidente da Frente Nacional e candidata às presidenciais francesas disse que a questão "não tem importância", mas sublinhou que num encontro em 2015 com o iman do Cairo não precisou de usar o véu islâmico.
"A mais alta autoridade sunita do mundo não me fez essa exigência. Por isso não vejo que tenha qualquer razão para ... Mas não é grave, transmita ao grand mufti os meus respeitos mas não me vou tapar", disse Marine Le Pen ao membro do gabinete do xeque Abdelatif Derian.
Marine Le Pen encontra-se de visita ao Líbano desde domingo tendo ainda previstos encontros com o patriarca maronita Bechara Rai e com Samir Geagea, líder do partido Forças Libanesas.
*
Fonte: http://www.dn.pt/mundo/interior/mufti-de-beirute-recusou-se-a-receber-le-pen-com-a-cabeca-descoberta-5681650.html

* * *

Marine Le Pen só fez o que qualquer ocidental normal faria. Estranhos tempos estes em que quase só «os radicais» europeus tomam atitudes de normal dignidade... e, com isto, a dirigente nacionalista francesa dá uma lição às alegadas «feministas» do governo sueco que em visita a um país muçulmano cobriram-se com o véu da vergonha dimiesca (de «dimi», infiel submetido à lei muçulmana). Um viva é pois devido  a Marine Le Pen por se recusar a portar-se como dimi, mantendo a sua firmeza, que faz dela uma digna representante do Ocidente diante do fanatismo oriental abraâmico. Quanto mais afastadas estiverem as águas melhor, menor é a contaminação da verdadeira Europa. 


PARLAMENTO DINAMARQUÊS PROÍBE MAIORIAS NÃO AUTÓCTONES NA DINAMARCA

Na Dinamarca, o parlamento aprovou no doravante histórico dia 15 de Fevereiro uma declaração a garantir que nenhuma área residencial em território nacional poderá ter maioria populacional imigrante. 
A iniciativa foi do Partido do Povo Dinamarquês (DanskeFolkeparti ou DF). A coligação governamental apoiou a proposta, que venceu por 55-54 votos na semana passada.
No texto da declaração pode ler-se o seguinte: «O Parlamento nota com preocupação que hoje há áreas na Dinamarca onde o número de imigrantes de países não ocidentais e seus descendentes está acima dos cinquenta por cento. É opinião do Folketing [Parlamento] que os Dinamarqueses não devem ser minoria em áreas residenciais da Dinamarca.» 
A diferença que aqui se faz entre Dinamarqueses e imigrantes não ocidentais foi considerada pela oposição como «racista». O líder dos social-liberais, Martin Ostergaard, escreveu na sua página de Facebook: «Como é que iremos alcançar a boa integração se de antemão é declarado que a tua ascendência étnica proíbe-te de ser considerado dinamarquês? Isto não é trivial embirração da minha parte, isto é alarmante!»
Por seu turno, o deputado do DF Martin Henriksen, autor da iniciativa, tinha afirmado, em debate, o seguinte: «Penso que a maioria dos Daneses está ultrajada por haver locais na Dinamarca onde os Daneses são obviamente uma minoria. Se se olhar para as estatísticas oficiais, há locais onde os imigrantes e os descendentes de imigrantes de países não ocidentais constituem a maioria. Nós no Partido do Povo Danês pensamos que isso é um problema do qual precisamos de falar.»
A favor da iniciativa votaram o DF (obviamente), bem como Jakob Engel Schmidt do Esquerda, o Partido Liberal da Dinamarca (Venstre Danmarks liberale parti), Laura Lindahl da Liberal Alliance (que usa este nome em Inglês), e o sírio Naser Khader do Partido do Povo Conservador (Det Konservative Folkeparti).
Contra, votaram os social-democratas (Socialdemokraterne), a Aliança Vermelha-Verde (Enhedslisten—De Rød-Grønne), A Alternativa (Alternativet), A Esquerda Radical (Det Radikale Venstre) e o Partido do Povo Socialista (Socialistisk Folkeparti). 
A iniciativa surgiu na esteira de se ter noticiado que em Brøndby Strand, localidade com 14,754 cidadãos, cinquenta e um por cento é ou imigrante ou de origem imigrante. Também em Odense os imigrantes compõem mais de metade dos residentes - 8,645 Daneses diante de 8,749 alógenos.
Outras áreas com muitos imigrantes são (dados desactualizados):  Brabrand (36 por cento), Ishøj (32 por cento), Bronshoj (28 por cento), Tilst (28 por cento), Aarhus V (27 por cento), Taastrup (24 por cento), Copenhagen NV (23 por cento), and Esbjerg Ø (22 por cento).
Os imigrantes constituem neste momento 12.3% da população do país.
*
Fontes: 
http://dailycaller.com/2017/02/15/danish-parliament-adopts-declaration-barring-muslim-majority-neighborhoods/
http://newobserveronline.com/danish-parliament-opposes-ethnic-cleansing-europeans/
http://www.denmarkbrazil.com/denmark-passes-declaration-prohibiting-muslim-majority-neighborhoods/

* * *

Mais um bom trabalho da parte de um partido nacionalista que tem agora o poder que tem graças à Democracia. Este é inequivocamente um momento histórico na política europeia, ainda que tenha passado quase em silêncio nos grandessíssimos mé(r)dia. Sic itur ad astra, é mesmo assim que se faz política nacionalista a sério - democrática e etnicamente.

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

GRANDESSÍSSIMOS MÉ(R)DIA CHEGAM AO PONTO DE INVENTAR QUE TRUMP FALOU EM «ATAQUE TERRORISTA» NA SUÉCIA

Segundo Donald Trump, na passada sexta-feira à noite houve um ataque terrorista na Suécia. A questão é que não houve um ataque terrorista na Suécia.
Num discurso proferido este sábado na Florida, o presidente dos Estados Unidos da América, declarou: "Vejam o que está a acontecer na Alemanha, vejam o que aconteceu ontem à noite na Suécia. Suécia! Conseguem acreditar? Suécia! Eles acolheram um grande número [referindo-se a imigrantes e refugiados] e estão a ter problemas como nunca pensaram ser possível".
A falsa informação propagou-se rapidamente no Twitter, onde o ex-primeiro-ministro sueco Carl Bildt escreveu: "A Suécia? Um atentado? O que é que ele fumou?".
A declaração de Trump animou a rede social sob o 'hashtag' #LastNightinSweden (ontem à noite na Súécia) e #SwedenIncident (incidente na Suécia), onde Trump foi ridicularizado um pouco por todo o mundo.
Esta não é a primeira vez que membros da administração Trump, e agora o próprio, se referem a ataques terroristas inexistentes - justificados posteriormente como lapsos.
Kellyanne Conway, a conselheira de Trump - que inventou a noção de "factos alternativos" - referiu-se ao "massacre de Bowling Green" numa entrevista e explicou mais tarde que se referia aos "terroristas de Bowling Green", dois iraquianos condenados em 2011 por tentarem enviar dinheiro e armas para a al-Qaeda.
Também o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, falou por três vezes numa semana no atentado de Atlanta (no Estado da Geórgia), antes de se lembrar que o mesmo tinha na verdade acontecido em Orlando, na Florida.
*
Fonte: http://www.jn.pt/mundo/interior/trump-inventa-ataque-terrorista-na-suecia-e-culpa-imigrantes-5678006.html

* * *

Note-se - não há qualquer referência de Trump a qualquer ataque terrorista na Suécia. Zero, nicles. O que Trump disse foi que a Suécia está a ficar caótica devido à violência - agressões e violações endémicas - cometida por iminvasores oriundos do terceiro-mundo. O que se passa neste país escandinavo desde há anos é absolutamente escandaloso, como se tem visto neste blogue e em toneladas de sites sobre o tema, e mais escandaloso é que os grandessíssimos mé(r)dia não só o andem a ocultar como ainda por cima tenham o inacreditável descaramento de agora tentarem satirizar quem faz o trabalho que eles não fizeram. Os aleijadinhos mentais de merda que guincham contra o que Trump disse metem desta vez ainda mais nojo do que é costume, exibindo ou o seu autismo ou o seu desespero argumentativo. Uma das que lhes cala de imediato a fossa do palavreado é por exemplo esta: «Em Fevereiro de 2016, o Serviço de Investigação Criminal Nacional foi forçado a admitir que cinquenta áreas estavam agora rotuladas como "zonas proibidas" onde crimes sexuais, ataques à polícia, tráfico de droga e crianças a transportar armas eram ocorrências comuns.»
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2017/02/establishment-media-mocks-trump-for-sweden-comment-while-swedish-mps-demand-billions-for-police-amid-growing-crisis

NO REINO UNIDO - PROFESSORA AMEAÇADA POR PAIS MUÇULMANOS PARA QUE NÃO USE TRAJES «OFENSIVOS» NA ESCOLA...

Trish O’Donnell, uma professora da escola primária de Clarksfield, em Oldham, na Inglaterra, viu-se forçada a trabalhar a partir de casa depois de ter recebido ameaças de morte.
Essas ameaças, refere o Daily Mail, foram feitas por pais ultra-conservadores de alunos muçulmanos que condenaram a indumentária que usa nas aulas, alegando que as suas roupas são “ofensivas”.
A mesma fonte diz até que este conjunto de encarregados de educação se têm juntado para planear um acto de ‘islamização’ da escola, fazendo várias ameaças a parte do staff da instituição para que os seus ideais ultra-conservadores sejam respeitados e seguidos na escola.
É de referir que esta escola primária acolhe crianças maioritariamente oriundas do Médio Oriente, sendo a maioria dos alunos paquistanesa e que, por enquanto, ainda nem sabem falar Inglês.
Recaem ainda suspeitas de alienação do próprio director da escola, Nasim Ashraf, que, em 2013, chegou a dar lições sobre o islamismo juntamente com a mulher, tendo depois obrigado parte do staff a circular nas instalações da escola com um véu que lhes cobrisse a cara.
*
Fonte: https://www.noticiasaominuto.com/mundo/744507/professora-ameacada-por-pais-muculmanos-por-usar-trajes-ofensivos?&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer&utm_content=geral

* * *

E assim prossegue a vivência num Ocidente onde cada vez há mais alógenos oriundos do mundo islâmico... Seja agora ou há mil e quatrocentos anos, seja em Inglaterra ou na antiga Arábia pagã, no Cáucaso ou nas Balcãs, a intolerância islâmica cresce sempre que a demografia muçulmana ganha força. Não há nenhuma defesa pacífica a não ser o travão imediato à iminvasão, que é para não ter de se enveredar por vias mais drásticas e cansativas, que seria uma grande chatice...

CURDOS PEDEM INTERVENÇÃO RUSSA PARA CONSEGUIREM FEDERALIZAÇÃO DA SÍRIA


Militantes curdos de Síria, Iraque e Turquia apelaram à liderança russa numa declaração conjunta, nesta sexta-feira, para que Moscovo defenda o status de federação de regiões do norte da Síria no nível internacional.
Na última quarta-feira, a capital da Rússia recebeu uma conferência com representantes curdos denominada "A luta por influência no Médio Oriente: o estado actual e os possíveis resultados". A declaração divulgada hoje foi redigida com base nas discussões realizadas nesse evento. 
"Pedimos para considerarem o aprofundamento e fortalecimento das relações russo-curdas e a possibilidade de o Ministério das Relações Exteriores defender a legitimação do status de federação da Síria do Norte-Rojava na arena internacional, como uma entidade política e territorial na nova Constituição síria", diz a declaração, lida por Farkhat Patiev, membro do Congresso Nacional do Curdistão. 
De acordo com o parlamentar, não há como resolver a actual crise do Médio Oriente sem encontrar uma solução também para a questão curda. 
Os curdos sírios afirmam que, como parte da população síria, não procuram a independência, mas esperam, sim, mais autonomia. Em Março de 2016, a região de Rojava declarou-se autónoma. No entanto, Damasco recusou-se a reconhecer tal decisão, afirmando que a mesma não tinha efeito legal. 
 *
Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201702177707833-curdos-federalizacao-siria/

* * *

A pouco e pouco é um caminho para a independência curda, um potencial aliado do mundo ocidental na região, tanto pela sua identidade étnica, afim da da maioria dos Europeus - indo-europeia - como, em termos mais imediatos, pelo pendor democrático e pró-ocidental que se adivinha na sua conformação política actual.

MAIS UM ATAQUE CONTRA ISRAEL A PARTIR DO SINAI...

Dois mísseis lançados a partir do Egipto atingiram o sul de Israel, sem causar vítimas ou danos, informou a assessoria de imprensa do Exército israelita segunda-feira (20).
Já é o segundo bombardeio no território israelita desse o início de mês de Fevereiro proveniente da Península do Sinai, onde actuam grupos de militantes-jihadistas.
"Hoje de manhã, os mísseis lançados do Sinai caíram numa área aberta no sul de Israel. Não há informações sobre feridos. As forças estão limpando o terreno", comunicou Peter Lerner, um dos chefes a assessoria de imprensa do Exército israelita.
De acordo com os militares, os militantes lançaram pelo menos dois mísseis que atingiram áreas desertas perto da Faixa de Gaza.
Informa-se que, no início de Fevereiro, o sistema de defesa anti-míssil de Israel interceptou pelo menos três mísseis lançados contra a cidade turística israelita de Eilat. Naquela vez, um braço egípcio do grupo terrorista Daesh assumiu responsabilidade pelo ataque.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201702207721028-israel-sofre-ataque-missil-preveniente-egito/

* * *

Segundo um mapa recentemente aqui publicado, esta é uma das regiões que eventualmente está já sob o estandarte do califado da Síria e do Iraque. «O mundo» continua sem noticiar isto - quase aposto que se Israel um dia destes responder em força, aqui d'el rei que os Israelitas fazem e acontecem contra «áreas civis» e assim...

ISRAEL A CAMINHO DE UMA NOVA SEGREGAÇÃO?

Em entrevista colectiva com o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, o presidente norte-americano Donald Trump disse que os Estados Unidos não mais insistiriam na criação de um Estado palestino. A Sputnik International discutiu o assunto com Menachem Klein, professor de ciência política na Universidade Bar-Ilan de Israel.
Quando questionado sobre a sua posição a respeito dos assentamentos israelitas em territórios palestinos, Trump pediu a Netanyahu que "retivesse os assentamentos por um tempo". Por sua vez, Netanyahu disse esperar "chegar a um entendimento" com o presidente norte-americano sobre a questão.
"Depois de ver o presidente Trump, Netanyahu disse que não iria restringir a expansão dos assentamentos de Jerusalém, então em Jerusalém veremos mais assentamentos e nada do que Trump solicita", disse Klein em entrevista à Sputnik International.
Quando questionado sobre a sua opinião geral a respeito de Trump e da decisão do magnata de descartar décadas de apoio dos EUA a um Estado palestino independente, o professor afirmou que o presidente era "ignorante sobre os detalhes e a história das negociações israelo-palestinas".
"Ele disse recentemente que os Palestinos deveriam reconhecer Israel, mas os Palestinos reconheceram Israel em Setembro de 1993. O que ele está a dizer é: 'Tenho muitas coisas para fazer em casa, então vá e negocie, é isso. Tudo com que você concordar, eu vou apoiá-lo'”, disse Klein, referindo-se à atitude de Trump diante de Israel.
O professor observou ainda que Israel é muito mais poderoso do que a Palestina e quer ditar os seus termos ao outro lado sem quaisquer terceiras partes tentando alcançar um equilíbrio.
"Isto não levará a acordo. Os Palestinos não irão a lugar nenhum e Israel eventualmente enfrentará um problema demográfico ou uma fórmula de uma-pessoa-um-voto, e a opção de dois Estados voltará à mesa", opinou.
Sobre a decisão de Trump de transferir a embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, o professor disse que muitos chefes de Estado árabes alertaram Washington a reconsiderar a medida, argumentando que a questão de Jerusalém é ainda mais séria do que a dos assentamentos judaicos.
"É um acto simbólico, mas ainda é muito importante", explicou Klein.
Enquanto isso, porém, sinais vindos de Washington parecem indicar que a transferência da embaixada pode não acontecer tão cedo.
A política dos Estados Unidos oficialmente diz que a embaixada do país em Israel deve ser transferida para Jerusalém. No entanto, os presidentes anteriores dos EUA optaram por não prosseguir com a transferência, usando uma dispensa presidencial a cada seis meses. A última delas expirará em 1º de Junho, e não está claro se Trump poderia transferir a embaixada antes disso.
"Talvez em Junho, quando israelitas e judeus em todo o mundo estiverem a celebrar o 50º aniversário da ocupação israelita de Jerusalém, Trump decidirá dar esse presente a Bibi [Netanyahu]", observou o professor Klein.
Ele acrescentou ainda que para Israel a mudança da embaixada dos EUA para Jerusalém significaria o reconhecimento oficial de Jerusalém como parte do Estado judeu e a anexação israelita da cidade.
Klein disse ainda que a solução de dois Estados permanece possível, mas não fácil.
"A única maneira para que a solução de um Estado se torne viável é que Israel se torne um Estado de apartheid, e os Israelitas estão agora a ir muito rapidamente em direcção a um Estado de apartheid. Quanto à opinião pública, vai mudar dependendo das circunstâncias. Aqui muito depende dos Palestinos, que estão passivos agora", afirmou o professor.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201702177708013-israel-apartheid/

* * *

Um professor claramente pró-palestino, este... chamar «ocupação» à constituição de um Estado que pertence por direito aos Judeus assim o indica. Quanto à segregação que anuncia, pois enfim, só peca por tardia.

domingo, fevereiro 19, 2017

MEMÓRIA DO TOTALITARISMO NA EUROPA - PENA DE MORTE PARA PAGÃOS NO IMPÉRIO ROMANO CRISTIANIZADO



A 19 de Fevereiro de 356, o imperador Constâncio II decretou pena de morte para quem quer fosse considerado culpado de comparecer em sacrifícios pagãos, ou de adorar ídolos pagãos. A máxima deste imperador era «Cesset superstitio; sacrificiorum aboleatur insania» («Que cesse a superstição; que a insanidade dos sacrifícios seja abolida.»)
Antes disso, no dia 23 de Novembro de 353, Constâncio II ordenara o encerramento dos templos pagãos e a abolição dos sacrifícios pagãos, também sob pena de morte, iniciando assim uma era de perseguição formal contra o Paganismo, isto é, contra a(s) religião(ões) nacional(is). Coincidentemente ou não, esta proibição deu-se num dia consagrado a Juno Temper e a Diana, realizando-se nessa noite ritos em Sua honra; Diana é também a Deusa à Qual o mês de Novembro é dedicado.
Constâncio II já antes tinha legislado contra os cultos antigos, em 350; mas, como o Paganismo fosse ainda muito forte nos meios rurais, a actuação do imperador foi aí recebida com hostilidade, pelo que Constâncio, bem como o seu irmão Constante (imperador da parte ocidental do Império Romano), sentiram-se forçados a emitir uma lei para preservar os templos que estivessem situados fora das muralhas das cidades. No mesmo ano, todavia, emitiram outra lei a declarar o encerramento de todos os templos pagãos e o seu acesso proibido. O ataque contra os templos e tumbas pagãs por parte de cristãos fez todavia com que Constâncio II promulgasse ainda outra lei que aplicava uma multa a quem fosse considerado culpado de vandalizar os locais pagãos, ao mesmo tempo que deixou estes sítios sagrados ao cuidado dos sacerdotes pagãos.
Neste mesmo ano, 350, o general Magnêncio revoltou-se contra Constante, matando-o. Apesar de aparentemente ser cristão, revogou a legislação anti-pagã de Constante e até permitiu a realização de sacrifícios nocturnos. Três anos mais tarde, Constâncio II derrotou Magnêncio e mais uma vez proibiu a realização dos rituais. É provável que esta nova lei tenha tido pouca força, visto que três anos depois, em 356, o mesmo imperador voltou a legislar contra o Paganismo, declarando que quem quer que fosse considerado culpado de comparecer em sacrifícios pagãos, ou de adorar ídolos pagãos, seria executado. A máxima deste imperador era «Cesset superstitio; sacrificiorum aboleatur insania» («Que cesse a superstição; que a insanidade dos sacrifícios seja abolida.»)

Em 360, Constâncio II morre de doença na iminência de uma guerra civil entre as suas forças e as que elegeram Juliano II como imperador (legiões romanas estabelecidas na Gália), o qual, ascendendo ao trono, restaura o Paganismo, embora por pouco tempo, visto que no ano de 363 morreu em combate contra os Persas, tendo talvez sido assassinado por algum dos seus próprios soldados cristãos (no exército de Juliano havia pagãos e cristãos, e estes eram-lhe hostis); nesta altura, o «lóbi» cristão voltou, lentamente, a perseguir o Paganismo.
Tudo isto atesta que, ao contrário do que diz a história deturpada pela Cristandade oficial, o Europeu não «se converteu» ao Cristianismo, pelo contrário, foi convertido com base na força, na intimidação, da perseguição e da proibição pura e simples.
Este é pois mais um dos momentos históricos em que se torna cristalina a oposição entre o totalitarismo espiritual oriental, universalista, por um lado, e, por outro, a herança étnico-espiritual autenticamente ocidental, ária e pagã.

Na imagem: Panteão de Roma, magna edificação dedicada aos Deuses pagãos que foi depois usurpada pela Cristandade e transformada em igreja, no século VI.

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

JOVIANO, FIGURA NEGRA DA EUROPA

A 17 de Fevereiro de 364 morreu o imperador Joviano, que tinha re-cristianizado o império após a morte do re-paganizador Juliano (363). Tal como o seu antecessor, também Joviano faleceu em circunstâncias pouco clarificadas, havendo a suspeita de que de um homicídio se tenha tratado. Foi sucedido por Valentiniano I, líder brutal no campo político mas, em geral, menos intolerante religiosamente que os demais imperadores cristãos... A Paganidade teve mais algum tempo de meio termo entre a proibição e a ténue sobrevivência, o que permitiu talvez que alguns dos seus elementos permanecessem por mais tempo do que permaneceriam caso a cristianização tivesse acontecido a um nível ainda mais rigoroso.

EM ZONA ALTAMENTE AFRICANIZADA - JOVEM BRANCA SOZINHA ESPANCADA POR «GENTE» DE PELE ESCURA...

"A minha filha andava a receber ameaças há vários dias. Tanto que, na quarta-feira, nem a deixei ir à escola. Ontem ela pediu-me para ir com uma amiga a casa da avó e fizeram-lhe uma espera. Nem consigo ver estas imagens, o que lhe fizeram não tem perdão". Maria Carvalho conta assim mais um caso de violência extrema entre adolescentes.
A filha, uma estudante de 13 anos, foi agredida por um grupo de 10 a 15 raparigas no Seixal, esta quarta-feira. Dois vídeos a que o CM teve acesso mostram como a vítima é rodeada de raparigas que a insultam e agridem, em dois momentos diferentes. Tudo a ser filmado por vários telemóveis. "Uma das coisas que me choca é que se filmem estas coisas e que não apareça ninguém a defender a minha filha. Quem filmou também é agressora". Os vídeos foram partilhados nas redes sociais. 
A mãe apresentou queixa da PSP e quer que os vídeos sejam divulgados "para que não hajam outras meninas a ser agredidas que tenham medo de se queixarem".  
A PSP está a investigar as agressões a uma jovem, de 13 anos, que ocorreram na Amora, concelho do Seixal, existindo vídeos dos factos que estão no processo, disse hoje à Lusa fonte policial.
"A PSP deslocou-se ao Centro de Saúde da Amora para uma ocorrência em que uma jovem teria sido agredida por outros alunos da escola. No local, a PSP identificou testemunhas e recolheu elementos para a participação", disse à Lusa fonte da PSP.
As imagens das agressões à jovem, que ocorreram na tarde de quinta-feira, têm circulado nas redes sociais e já estão na posse das autoridades. "A mãe deslocou-se à PSP e disponibilizou vídeos com a jovem a ser agredida. A PSP juntou os vídeos à participação e vai entregar no tribunal", acrescentou. Segundo a mesma fonte, a PSP está a procurar apurar a identidade das agressoras, referindo que é uma "questão de tempo" até o conseguirem. 
*
Agradecimentos ao Arauto por ter aqui trazido esta notícia: http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/adolescente-espancada-por-grupo-de-raparigas-no-seixal

* * *

Mais um episódio do quotidiano europeu enriquecido pelo calor humano oriundo dos trópicos...
O que será que vai ser preciso fazer para que os Europeus possam viver em paz na sua própria terra?...

BATALHA DE KARUSE


A dezasseis de Fevereiro de 1270 as forças pagãs do Grande Ducado da Lituânia infligiram clara derrota às tropas cristãs da Ordem Livónica, também conhecida como Irmãos Livónicos da Espada, ramo da famosa Ordem Teutónica, braço armado alemão da Cristandade. A Ordem Livónica, estabelecida em 1202, estava apostada em converter ao Cristianismo as populações da actual Letónia e Estónia. Dominou o Povo dos Semigalos (tribo sita numa área que abrangia parte da Letónia e norte da Lituânia) em 1250. Após as derrotas da Ordem Livónica na Batalha de Skuodas em 1259 e na Batalha de Durbe em 1260, os Semigalos revoltaram-se. Traidenis, que se tornou no grande duque da Lituânia por volta de 1269-70, apoiou a rebelião. No Inverno de 1270, a Ordem Livónica invadiu a Semigália. Contudo, ao tomar conhecimento de que um vasto exército lituano também estava na área, o mestre Otto von Lutterberg, comandante da ordem, levou a cabo uma retirada para Riga. Os Lituanos marcharam para norte, chegando à ilha de Saaremaa, que conseguiram alcançar porque o Mar Báltico estava nesse momento congelado. O exército lituano saqueou a zona, tomando portentoso saque de guerra. Não é nítido se os Semigalos se juntaram aos Lituanos e participaram na campanha.
O mestre da Ordem, Lutterberg, reuniu um vasto exército de cavaleiros livónicos, soldados do Bispado de Dorpat, do Bispado de Ösel-Wiek, da Estónia dinamarquesa, bem como de tribos locais dos Livs e dos Latgálios. Há um ano que a Ordem se preparava para a expedição e marchou para norte, ao encontro dos Lituanos. Os exércitos encontraram-se na ilha gelada estoniana de Muhu.
Foi a quinta maior derrota da Ordem Livónica e da Ordem Teutónica no século XIII. Quase tudo o que é sabido do confronto está na Crónica Livónica em Rima, que dedicou à batalha 192 linhas. Aqui, diz-se que mil e seiscentos soldados (número eventualmente exagerado) lituanos morreram em combate, enquanto do lado da Ordem se perderam cinquenta e dois cavaleiros (incluindo o próprio mestre Lutterberg) e seiscentos homens a pé.
Para levantarem o moral, o vice-mestre Andreas von Westfalen decidiu alcançar uma vitória rápida. A meio de 1270, ficou a saber que havia outra incursão lituana na Livónia e levou para lá os seus soldados. Enquanto os seus cavaleiros resistiam, os lituanos atacaram-lhe o campo e mataram von Westfalen e mais vinte cavaleiros, naquilo que ficou conhecido como a Batalha de Padaugava, que foi a décima maior derrota dos Cavaleiros Teutónicos. Em 1279, Traidenis tornou a bater a Ordem Teutónica, desta feita na Batalha de Aizkraule...
*
Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Karuse

* * *

Devido à desproporção das forças militares - de um lado, tribos pagãs locais, do outro, a Cristandade potencialmente em peso - os Lituanos acabaram por ter de aceitar o credo do Judeu Morto. Foram provavelmente o último Povo pagão da Europa. Mas a sua resistência demorada permitiu que muito do seu património religioso se preservasse, daí que actualmente a sua renovação pagã, ou seja, o retorno ao culto dos seus Deuses Nacionais, esteja particularmente pujante.


quarta-feira, fevereiro 15, 2017

CELEBRAÇÃO RELIGIOSA NO ÂMAGO DA EUROPA


Celebração pagã invernal algures na Polónia em honra de Veles, Deus dos Mortos, equivalente ao Deus do mês de Fevereiro, Februus, possível equivalente também - até etimologicamente, alvitro eu - do céltico «lusitano» Endovélico.
*
https://www.facebook.com/StowarzyszenieKolomir/posts/700999450073191

MUROS

Vez por outra ouve-se por aí o argumento anti-racista e anti-nacionalista com sabor romântico-idealista pimba de que as fronteiras terrestres não se vêem a partir do espaço. Pudera, do espaço também se não vêem pessoas... De qualquer modo tem piada, a propósito, que a única obra humana que se dizia ser visível a partir da Lua fosse a Grande Muralha da China, um monumento à defesa de um Povo contra a invasão de outro... corrijo o tópico à luz do que diz a Wikipedia, que afinal o monumento não é visível a partir da Lua... mas que é uma das poucas obras humanas visíveis do espaço, isso parece confirmado...

IGREJA DECLARA-SE PREOCUPADA COM A ASCENSÃO DO NACIONALISMO...

O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, declarou esta semana que a Igreja está preocupada com o crescimento dos movimentos nacionalistas e populistas, tanto na Europa como nos EUA.
“I think so, I think so,” Parolin said. “Certainly these closings are not a good sign,” since many of them “are born of fear, which is not a good counsellor.”
The Cardinal also recalled recent comments by Pope Francis, saying that “there is a risk of history repeating itself.”
In a lengthy interview with the Spanish daily El País in late January, Pope Francis was asked whether he was concerned about the spread of a populism that capitalizes on “people’s fears,” preaching “a message of hate.”
In his reply, Francis distinguished between a good, grassroots populism, where it is the people who are “the protagonists,” and a cult of personality where a charismatic figure like Hitler rises to power and is welcomed as a savior figure.
“For me the most typical example of populism in the European sense is the Germany of 1933,” Francis said. After Hindenburg, “Germany tries to get back up, searches for its identity, looks for a leader, someone to give it back its identity and a youngster named Adolf Hitler says, ‘I can do it; I can do it.’”
Whereas the first sort of populism is a good thing, the latter can be very dangerous, he said.
The risk, Francis said, is that in times of crisis we lack judgment and people can begin to think, “Let’s look for a savior who gives us back our identity and let’s defend ourselves with walls, barbed-wire, whatever, from other people that may rob us of our identity.”
“And that is a very serious thing,” he said. “That is why I always try to say: talk among yourselves, talk to one another.”
In the same interview, the Pope was asked specifically whether he was worried about Donald Trump, whom the interviewer described as a xenophobe filled with “hatred for foreigners.”
Francis said that the new U.S. President deserved to be judged by his actions, not by “prophecies” of what he may or may not do.
“I think that we must wait and see,” Francis said. “I don’t like to get ahead of myself nor judge people prematurely. We will see how he acts, what he does, and then I will have an opinion.”
The Pope said it is “most unwise” to be afraid of something that might or might not happen.
“It would be like prophets predicting calamities or windfalls that don’t take place. We will see. We will see what he does and then evaluate,” he said.
“I prefer to wait and see,” he said.
*
http://www.breitbart.com/national-security/2017/02/14/vatican-expresses-concerns-spread-nationalism-populism/
Agradecimentos ao camarada Horta Nobre por ter também trazido esta notícia aqui.

* * *

Pois claro que a Igreja está preocupada com o florescimento do Nacionalismo - o essencial do apelo nacionalista deita por terra o universalismo militante, desenraizador e inimigo das identidades, que o credo da Cristandade sempre quis impingir em todo o mundo. 

Etiquetas:

A RAIZ PROVÁVEL DO DIA DOS NAMORADOS...


Dia 15 de Fevereiro é marcado pela celebração da Lupercalia, cuja designação vem de «Lupus», isto é, «Lobo». Pode ter a ver com a Loba que amamentou Rómulo e Remo, as crianças em cujo futuro se albergava a fundação de Roma.
Trata-se da culminação de uma sucessão de dias ditos «nefastos», que, neste contexto, não significa que sejam necessariamente maus, mas sim perigosos, e é a um tempo uma festa de fertilidade, da vinda da Primavera e da prestação de honras aos antepassados mortos.
A festa é dedicada a FAUNUS, e começava com os sacerdotes luperci a sacrificar bolos, e um bode (e/ou um cão), cujo sangue era passado pela testa dos jovens reunidos, e começava então uma correria, com estes jovens circulando em torno do monte Palatino (cerca de 5 km) percorrendo o caminho que Rómulo seguiu ao traçar a linha de circunscrição de Roma (no acto da fundação da cidade), e circulando pelas ruas da cidade, batendo com peles de bode nas mulheres jovens que encontrassem, para as fertilizar.
Celebração de carácter sexual, incluía naturalmente muito daquilo a que se chama «rebaldaria».

A cor deste dia é o vermelho, a mesma cor do dia de S. Valentim, possivelmente inventado para substituir a festividade pagã. 

terça-feira, fevereiro 14, 2017

BISPOS NORTE-AMERICANOS APOIAM BLOQUEIO DA LEI ANTI-IMIGRAÇÃO DE TRUMP

Nos EUA, os bispos norte-americanos saudaram a decisão do tribunal de apelação que a nove de Fevereiro invalidou a proibição da entrada de imigrantes muçulmanos no país promulgada pelo presidente Donald Trump.
Note-se que na lei de Trump estava incluída uma preferência pela relocalização de minorias cristãs...
O reverendo Joe Vasquez, bispo de Austin, Texas, que preside o Comité da Migração, declarou: «Apoiamos a decisão do Tribunal de Apelação do Nono Circuito. Respeitamos o primado da lei e o processo judicial americano. Permanecemos firmes no nosso compromisso para recolocar os refugiados e todos os que fogem à perseguição. Nesta altura, permanecemos particularmente dedicados a garantir que os refugiados afectados e as famílias imigrantes não são separadas e que continuam a ser bem-vindas no nosso país. Continuaremos a acolher o recém-chegado uma vez que isso é uma parte vital da nossa fé católica e um elemento permanente dos nossos valores e tradição americanos.»
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2017/02/us-catholic-bishops-heedless-of-jihad-terror-risk-welcome-block-of-trump-immigration-ban

* * *

Mais uma vez se constata como a Igreja está totalmente ao lado da restante elite reinante a favor da iminvasão do Ocidente. Imagine-se o que seria o mundo ocidental se esta gente tivesse aqui tanta influência como há cinquenta ou sessenta anos...
Contra este veneno só o Nacionalismo se ergue.


Etiquetas: